Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 4 de abril de 2009

Liange por Clicio 2008

Liange por Clicio 2008

Continuando com a minha viagem onírico-realista dos fins-de semana, tenho tido cada vez mais inquietudes a respeito do que posso/devo mostrar com a minha fotografia, sem que ela perca a sua personalidade. Personalidade esta que, como sabem, foi moldada pela publicidade e pela moda, carga penosa e da qual não vai ser fácil me livrar; o bom é que apenas revendo algumas das imagens produzidas ao longo do ano passado, começo a perceber uma mudança de intencionalidade tímida, mas presente, o que me leva a (ainda) ter esperanças.
A foto da Liange, uma princesa oriental morta sob a iluminação Matrix, me remeteu a imagem de uma replicante by Ridley Scott, na versão original de Blade Runner.

Nan Goldin depois de apanhar

Autoretrato - Nan Goldin após surra do marido

O que me levou a imaginar os porquês do meu fascínio pelos trabalhos que mostram uma forma de realidade crua (autoretrato de Nan Goldin depois de levar uma surra do marido, foto acima),

Retrato - Joel Peter Witkins

Retrato - Joel Peter Witkins

ou a morte totalmente desmistificada e ironizada (Joel Peter Witkins tendo que se isolar no México para fotografar os cadáveres que lhe serviam de modelos, foto acima),

Marketa por Jan Saudek

Marketa por Jan Saudek

ou uma poética atemporal e surrealista, com traços do renascimento italiano (Jan Saudek mostrando a passagem do tempo medida em décadas, foto acima), imagens visualmente cruéis (?)  que nos fazem refletir sobre a constante decadência física, e na inevitável sombra da morte espreitando na próxima esquina.
O fato é que, como tenho dito nos últimos tempos, esta compulsão por querer fotografar o lado menos cosmético da estética contemporânea esbarra no meu eterno espanto frente a beleza feminina;

Kate Moss como Lady Godiva, por Nan Goldin

Kate Moss como Lady Godiva, por Nan Goldin

é como mostra esta foto acima, da Kate Moss abraçada ao cavalo, feita pela mesma Nan Goldin (balada da dependência sexual) ; uma Kate  gordinha, nua, desmaquiada, jovem e espelhando uma Lady Godiva moderna.
E LINDA!
Irônico, não?

Anúncios

Read Full Post »